terça-feira, 11 de outubro de 2011

Universais


Não preciso estar solitário
Saudoso, desamparado
No árido mundo real
Posso cantar a solidão
A saudade e o desamparo
Do mundo transcendental
Porque meu mundo é poético
E meu desconsolo estético
Nem sempre é sentimental
Paulo Viana

Um comentário:

  1. bem vindo ao meu blog primo abraços fique a vontade a casa é sua

    ResponderExcluir